Teologia

Sete Provas da Existência de Deus

(1)
(2)
(3)
(4)
(5)
(6)
(7)
.
.
.
Sete Erros Graves na Teologia de Paulo às Igrejas
(1)ao salvo e não-salvo, acrescenta a categoria de meio-salvo, ou crente carnal
(2)condena, mas chama a experiência de Corinto de “glossolalia”
(3)facilita dúvidas sobre endurecimento e conversão futura e nacional de Israel
(4)não conserta seu primeiro ensino sobre “mortos aguardando a parousia”
(5)chama sua enfermidade de um ato de mensageiro de satanás
(6)se diz exemplo quanto a casamento e imitador de Cristo
(7)mistifica sua “conversão”, “discipulado”, “revelação” e “arrebatamento”
.
EXPLICAÇÃO a alguém que pediu:
Lc.1:1-4, inspiração não é Deus ditando a homens o conteúdo das mensagens que Ele passava aos homens. Ele é o mesmo antes, hoje e sempre. Assim, e até por Jesus, Ele não teria ditado os textos do Pentateuco a Moisés que afirmou que Deus se arrependeu, que Deus mandou matar os inimigos, que agisse com os desobedientes como Moisés entendeu, etc. Há no Antigo Testamento afirmativas graves dizendo que Deus endureceu o coração de Faraó para que fosse desobedecido na ordem que deu, que Deus pôs um espírito mal no coração de Saul, que incitou Davi a desobedecer a ordem dEle contando o povo, e outras coisas mais. 
Na verdade inspiração é Deus aproveitar o desejo do homem em escrever para abençoar outras pessoas, é permitir que este homem use de pesquisa pessoal e informações que venha receber sobre o assunto, é permitir as limitações do escritor.
Entre os escritores que foram inspirados por Deus, como o caso de Lucas no texto mencionado acima, está Paulo que tinha suas limitações, a pesar da capacidade teológica e cristã que tinha.
(1)Não existe meio cristão, meio salvo, o crente carnal nos moldes que ele aponta no texto bíblico, no máximo pode haver salvos, crentes imaturos, em fase de crescimento, como todos sempre estão.
(2)a experiência de Corinto não tinha nada a ver com a de Jerusalém, não só no fato que nesta foram idiomas inteligíveis, mas no fato que nesta fora sinal para os não salvos. No entanto, começo da reação de Corinto ele dá o mesmo nome para as duas experiências.
(3)Deus não endurece o coração de ninguém, pelo contrário Ele quer a salvação do maior número de pessoas, de judeus ou não.
(4)nos anos 51 ou 52, aos Tessalonicenses ele diz que o salvo fica aguardando a volta de Jesus na sepultura, porém aos Filipenses, anos 58 a 60, ele diz que morrendo estaria com Cristo.
(5)chama sua enfermidade de mensageiro de satanás, o que não é verdade, mesmo que metaforicamente.
(6)Façam como eu, não casem, isso é contrário ao desejo de Deus; e apresenta-se como imitador de Cristo é degradante, já que o que quer não faz, e o que não quer é o que faz.
(7)Mistifica demais suas experiências, quando na verdade são momentos iguais ou semelhantes, com o mesmo valor pessoal e diante de Deus, sem misticismos.

Nestes ensinos, há mais do próprio Paulo, do que de Deus através de Paulo.
.
.
.
Esboço 3
Coisas que Deus não pode I
(Deus Todo Poderoso, pode todas as coisas, mas há algumas
que Ele não conseguiria ser ou fazer, mesmo que quisesse...)
(1)Deixar de ser Santíssimo, Amorável ou Justíssimo
(2)Deixar de ser Onipotente, Onipresente ou Onisciente
(3)Pecar ou incentivar qualquer pecado em qualquer pessoa
(4)Voltar atrás no que disse ou planejou qualquer que seja o motivo
(5)Salvar quem não passou pelo arrependimento pessoal e recebeu a fé
(6)Criar ou mandar o mal a quem quer que seja, qualquer que seja a razão
(7)Rejeitar o domínio absoluto de tudo, respeitando o livre-arbítrio de todos
.
.
.
Esboço 4
Coisas que Deus não pode II
(Deus Todo Poderoso, pode todas as coisas, mas há algumas
que Ele não conseguiria ser ou fazer, mesmo que quisesse...)
(1)tudo que fira a Sua Santidade
(2)tudo que fira a Sua Justiça
(3)tudo que fira o Seu Amor
(4)o que Sua onipresença impeça
(5)o que Sua onisciência impeça
(6)o que Sua onipotência impeça
(7)o que contraria Seu caráter perfeito